Recém-publicado

Nancy Schwarz: Uma Nova Força Nacional

O ano de todas as opções, mudanças e oportunidades aos guineenses, primeiro, em busca da nova,consciente, requerida e matura liderança da Nova Força Nacional e dos seus líderes, baseada nos valores e nas referências que saberão impulsionar e dilatar ao serviço de todos, procurando assim, desbravar e reabilitar nossa berciária identidade, perdida algures, com a absoluta sageza, a fim de ditarmos progressos a nós próprios, com os nossos múltiplos recursos: humanos, científicos, técnicos, materiais, culturais, intelectuais e institucionais.


São tortuosos e espinhosos caminhos que a Nova Força Nacional trilhará e honrar com fé, sonhos e esperanças, humildade, conhecimentos, sabedoria, visões, vivências, percepções, coragem e determinação iluminados pelo Verbo e pela Palavra sua filha, e passar esta testemunha à nova geração, razão da nossa continuada afirmação no mundo.

Preferência dos Guineenses para Presidência da Guiné- Bissau, Nancy Schwarz

Nova era, novos sonhos e novas esperanças.

Neste século de todas as ciências e tecnologias, e apelo ao universalismo e filantropismo, nenhum ser humano pode ser escravo imoral da sua própria riqueza.

E nós, infelizmente, temo-la abundantemente na Guiné-Bissau.

Área de actuação
SOBRE A INSTITUIÇÃO

Área de actuação
 Infra-estruturas.
 Higiene e Segurança Alimentar para a Erradicação das Doenças.
 Ensino / Educação na Guiné-Bissau.
 Economia Guineense, sua integração Regional e Internacional.
 Cultura e Civilização Guineense e sua Integração no Processo de Desenvolvimento.
 Administração e Reforma Administrativa.
 Cooperação e Desenvolvimento.
 Património Geral Guineense e sua Integração nas Instituições de Estados.
 Solidariedade e Intervenção Social.
 Promoção de Intercâmbio para o Conhecimento de Povos de África, das suas expressões culturais, linguísticas e científico-tecnológicas.

Missão da Instituição

Levar a Guiné-Bissau, principalmente as zonas mais necessitadas, a bem dizer, será o início dum verdadeiro retorno físico, moral, intelectual e emocional de quadros superiores e profissionais
guineenses, importantes agentes promotores e transformadores da sua própria realidade (diversidade de Povos, Culturas, Civilizações, Línguas, Tradições, Usos e Costumes, Valores Morais e Éticos) rumo ao progresso e desenvolvimento, especialmente nos sectores primário, secundário, terciário e de serviços; por outro lado, o estabelecimento de prioridades no combate aos principais flagelos do país com repercussão nas suas economias, tais como, as cifras
significativas da mortalidade causada pelo HIV, Meningite, Paludismo, Malária, etc.

Nesta ordem de ideias, proceder-se-á, dum programa de formação e cursos permanentes sobre a problemática guineense do desenvolvimento, bem como a sua monitorização e sustentabilidade.

Breve História da Instituição

A criação do Nova Força Nacional (N. F. N.) é uma consequência das experiências, do espírito e do trabalho, do profissionalismo, das vivências, da visão histórica, política, económica e cultural dos filhos e naturais da Guiné-Bissau, visão que têm do seu passado, presente e futuro.

Conjugando, como é óbvio, os múltiplos factores neste processo, podem, os guineenses, à semelhança do que já fizeram noutras épocas, noutros contextos e, em variadíssimas áreas do saber (a relembrar o carácter científico e tecnológico impulsionado, há séculos, A.C.), promover a ciência e a cultura ao serviço do desenvolvimento e progresso da Guiné-Bissau?

A Nova Força Nacional (N. F. N.), dispõe de um leque de quadros capazes de cobrir todas as necessidades do país, apesar de ter sempre em consideração a conjuntura internacional e a
globalização. Muitos quadros que integram este projecto são especialistas em estudos, temas ou assuntos guineenses/africanos: escritores, filósofos, homens da cultura, engenheiros, matemáticos, agrónomos, economistas, médicos, linguistas, professores altamente preparados para executarem acções que lhes forem confiadas pela

Nova Força Nacional – Linhas de Actuação

Todas as acções programadas neste projecto serão devidamente realizadas pelas estruturas rédicas em conexão, coadjuvadas pelos vários departamentos existentes e de apoios. Além do mais, os projectos de desenvolvimento projectados para a Guiné-Bissau cumprem requisitos essenciais que os tornam operacionais e efectivos. As redes neste sentido são os espelhos da N. F. N. e das metas a atingir.

Projecto A:
Desenvolvimento de Infra-estruturas sólidas na Guiné-Bissau.
Objectivos: Reforçar e acelerar o ritmo de Progresso e Desenvolvimento na Guiné-Bissau pela criação de condições objectivas, nomeadamente, a construção e monitorização de
acessibilidades e navegabilidades terrestre, marítima e aérea, em perfeito equilíbrio com a natureza, pela criação do mercado interno em ligação com o externo, estabelecendo o nexo de comunicação e informação, de circulação e mobilidade de pessoas, bens e capitais entre o campo, periferias e cidades, regiões e continentes, como factores geradores da riqueza.

Recuperar todas as vias no interior das aldeias, bairros e cantões, onde cada gesto, andar a pé, de carro ou de bicicleta, ter hospitais, fontenários, pontes, empresas, creches, institutos da arte,
escolas, centros de saúde, estradas, aeroportos, caminhos-de-ferro, cais para atrancamento de barcos, esgotos, manutenção de lixos, etc, podem significar importantes passos na vida dos guineenses.

Projecto B: Saúde Sustentável
Objectivos:
Aprofundar os conhecimentos dos sistemas e instituições estatais de saúde, tanto regionais como central, através de estudos e investigação, tendo em vista, o seu reforço, a sua
capacitação, a sua operacionalização, gestão e sustentabilidade para as multifacetadas realidades socio-comunitárias que caracterizam a Guiné-Bissau; instalar centros de investigação da Medicina Tradicional Africana e observar as práticas preventivas e curativas das plantas usadas no tratamento, bem como as concepções, atitudes e comportamentos relativamente às doenças, formas de obtenção de medicamentos, confecção de alimentos, obtenção da água para uso culinário, abertura de latrinas contíguas aos fontenários; proceder sazonalmente as pulverizações de pragas e outros vectores de saúde, mosquitos, melgas, moscas tzé-tzé, lixos e águas inquinadas e promover em todas as aldeias e tabancas, a formação permanente sobre a higiene e saúde com os programas adequados às realidades locais, proceder igualmente, a manutenção da segurança alimentar para erradicar mais facilmente, seja em que área da vivência e convivência de povos, as hipóteses das doenças endémicas e/ou pandemias.

Projecto C: Desenvolvimento e Progresso do Ensino/ Educação em África.
Objectivos: Criação e desenvolvimento de Instituições de Pesquisas na Guiné-Bissau, tendo em vista os estudos das culturas e civilizações dos povos da Guiné/África, bem como a elaboração e programação de novos conteúdos programáticos que respondam às necessidades do país, desde o ensino Básico, Médio e Superior. Preparação de manuais escolares, desenvolvimento de redes de bibliotecas acompanhadas de campanhas de sensibilização de
leituras, alfabetização, consultas e requisições domiciliárias e constituição de ficheiros de leitores.

Adaptar as línguas maternas nos graus de ensino de forma a capacitar a juventude mais conhecimentos com o mundo real, possibilitando-lhes em simultâneo, todas as informações sobre
as transformações no mundo da ciência e tecnologia e das comunicações.

Projecto D: Desenvolvimento de Actividades Económicas, Integração
Regional e Internacional.
Objectivos: Fortalecer os sectores de actividades económicas (primário, secundário e terciário e de serviços) com a missão de corresponder as fontes de necessidades locais e nacionais, por outro lado, integrá-las regionalmente e internacionalmente, criando para o efeito os benefícios na Balança de Pagamentos, Comércio Interno e a sustentabilidade das Finanças de Estados. A Rede propõe formar mão-de-obra especializada e solicitar apoios às fontes de Recursos Financeiros, Tecnológicos, Humanos, Administrativos e Logísticos para a realização de tais tarefas e objectivos.

Projecto E: Valorização e Integração das Culturas e Civilizações Africanas no Desenvolvimento.
OBJECTIVOS: Realizar o monitoramento das culturas/identidades e diversidades de povos e suas expressões no quadro do ensino/educação aberto aos países africanos, valorizando e
integrando, não apenas os estudos, a investigação e a operacionalidade daqueles elementos indispensáveis ao desenvolvimento, mas também, proceder a elaboração do mapa linguístico, constitutivo da comunicação e relação amistosa entre populações, tabancas/aldeias contíguas ou distantes. Por esta via se desenvolve a cooperação multicultural, local, nacional, regional e
internacional.

Projecto F: Implementação e Modernização Administrativa.
OBJECTIVOS: Sensibilizar os países africanos a envolvência das suas instituições nos processos de reforma e modernização administrativa da Guiné-Bissau, com a significativa participação dos Parlamentos, das Assembleias, dos Conselhos, da Presidência, da Sociedade Civil, dos Chefes Tradicionais e suas autoridades, visando também, a reformulação permanente do quadro legislativo e, por consequência, proceder a revalorização da Função Pública, através da integração de Recursos Humanos Inteligentes baseados nos princípios da imparcialidade,competência, flexibilidade e mérito, e da integração de meios tecnológicos (TIC) ao serviço dos países.

Projecto G: Cooperação e Desenvolvimento.
OBJECTIVOS: Fortalecer o papel da cooperação local, nacional, regional e internacional de todos os países africanos em vias de desenvolvimento, como forma de aumentar o grau de confiança no investimento, relacionamento e crescimento económico. Nestas modalidades de cooperação, bilateral e multilateral, o enquadramento de recursos humanos inteligentes é inevitável como condição da agilização de processos de melhoria nas economias tradicionais, aproveitando nesta ordem de ideias, a selecção e transferências do Know-how externo e recepção de tecnologias limpas, baseadas no aproveitamento das energias renováveis, a organização e divulgação de saberes e tecnologias locais, sua integração no desenvolvimento, com os evidentes sinais, tanto no mercado interno como no externo.

Projecto H: Integração e Funcionamento do Património Geral nas instituições de Estado.
OBJECTIVOS: Potenciar a formação e integração de recursos humanos inteligentes à esfera  das instituições de Estado, capacitando simultaneamente, os técnicos em processos administrativos, os órgãos de planeamento, gestão da População e do Património geral, tendo em vista a ampliação e promoção de actividades institucionais, quer nas Escolas, Museus, Bibliotecas, Administração, Universidades, Institutos, Parlamentos, Assembleias, Conselhos ou Câmaras, nos discursos literários e políticos, na escrita, no ensino e na aprendizagem de toda a expressão cultural herdada, nomeadamente, nas concepções e práticas, os comportamentos, as
atitudes, as realizações científico-tecnológicas, os princípios e fundamentos da terra, o direito da família, do comércio e das economias tradicionais.

Projecto I: Solidariedade e Intervenção Social.
OBJECTIVOS: Implementar e reforçar os sistemas de cooperação e solidariedade existentes nas sociedades tradicionais guineenses/africanas com o impacto na modernidade, mormente nos domínios da família e da terra, da justiça e da repartição da riqueza nacional, do mercado de trabalho, dos problemas gerais dos imigrantes e dos residentes, como sejam, os documentos, a
integração, as questões do divórcio, do analfabetismo, da habitação, das doenças e morte, da transladação do corpo, da vacinação, da criação das casas do tratamento ambulante, apoios aos medicamentos e assistência medicamentosa, promovendo para o efeito, conferências, simpósios, mesas-redondas, palestras, etc.

Projecto J: Promoção de intercâmbio e Conhecimentos do Património Geral dos Povos de África.
OBJECTIVOS: Levar a todos os povos africanos, o sentido, o significado, a importância e o alcance do intercâmbio para o conhecimento de sí, da forma de gerir seus destinos, dos
mecanismos de resolução de conflitos, como forma de promover a concórdia entre populações, a paz, a integridade física, moral, intelectual e emocional com vantagens para todo o continente,
além da afirmação da sua identidade, num mundo global em permanentes transformações. O intercâmbio far-se-á a quatro níveis: a nível do património cultural e civilizacional, a nível
linguístico e religioso, a nível científico e tecnológico e a nível do património natural.

SOBRE A NOVA FORÇA NACIONAL
Quadro Descrição dos seus Projectos

Estes projectos da Nova Força Nacional para o Progresso e Desenvolvimento da Guiné-Bissau foram elaborados em resposta às necessidades de Estado guineense em função da sua incompletude, das suas instituições e representações socioculturais, económico-financeiras, científico-tecnológicas e administrativas, para que as comunidades constitutivas em aldeias, bairros, vivendo no meio rural, nas periferias e nas cidades sejam capacitadas, tanto em
economia, saúde, ensino/educação, como na satisfação dos meios de transporte e comunicações, construção de laboratórios de pesquisas, pontes, Universidades, Bibliotecas e Museus, sejam
também reforçadas as melhorias de vida pelo retorno e inserção de quadros e profissionais guineenses nos grandes projectos da Nova Força Nacional (N. F. N.), pela atribuição de bolsas de estudos (interna e externamente), na melhoria das condições de vida dos imigrantes e dosresidentes, priorizando a construção de clínicas, mini-hospitais, o reforço e desenvolvimento da agricultura, agropecuária e pesca artesanal, através de micro-créditos designados (MINICRESCE-mini créditos para o crescimento económico) atribuídos às camadas mais pobres.
Serão desenvolvidas entre outros: serviços públicos (agentes de saúde), a fabricação e comércio das principais actividades económicas tradicionais, nomeadamente (a panaria, a cestaria, a
bengalaria, a tecelagem), doces caseiros de manga, banana, papaia, caju, monitorização ambiental, desenvolvimento de pequeno comércio periférico (bares e mercearias), mercados e
feiras de produtos alimentares e não-alimentares.

Os Projectos da N. F. N: não dispõe de nenhuma acumulação do capital, como também as comunidades africanas de base tradicional, como de resto confirmam as suas organizações económicas e sociais, suas concepções e práticas humanistas e transcendentais, o seu sentido comunitário de vida e de morte, a sua cadeia de solidariedade desenvolvida e consolidada, há milénios. O espírito de cooperação, o ritual em relação aos seus antepassados como expressões de respeito e de ligação íntima a um conjunto de valores morais subtrai grandemente as noções de poupança e, por consequência, do investimento no sentido moderno do termo.

Neste sentido, a N. F. N., através de patrocínios, financiamentos, doações, contribuição de pessoas singulares e colectivas, governos, instituições financeiras internacionais, clubes, fundações, pretende implementar projectos sólidos para as zonas mais necessitadas aos níveis (saúde, ensino/educação, administração, economia, instituições de pesquisa, comércio, desenvolvimento de energias renováveis, etc.), e promover parcerias e contratos firmados com os
quadros superiores e técnico-profissionais africanos e não-africanos (engenheiros, médicos, juristas, economistas, informáticos, agrónomos, etc.) para a concretização desses objectivos.

Estes projectos representam para o desenvolvimento da Guiné-Bissau:
 A consolidação da iniciativa prioritária da N. F. N.;
 Uma aplicação das atitudes da instituição para vários tipos de públicos guineenses;
 Uma expansão das acções da instituição para as populações mais carenciadas;
 Uma actuação de maior abrangência e relevância para os mesmos públicos, cujascaracterísticas requerem uma atenção especial no plano da formação.

Objectivos da Nova Força Nacional
Proporcionar a Guiné-Bissau uma nova oportunidade de vida, onde a saúde, o ensino, o crescimento económico e desenvolvimento social, estejam sempre presentes para todas as gerações, presentes e futuras. Para tal, são estruturados dez pontos de actuação.
Estrutura humana, material e/ou tecnológica Necessária para a realização de projectos da Nova Força Nacional. Estrutura que a
instituição conta no presente e no futuro.

Estrutura Humana
Contamos com todos os guineenses, independentemente das suas condições económicas, culturais e sociais, linguísticas ou credo para o desenvolvimento do país, assim como os quadros superiores e profissionais, graduados nas Universidades de todo o mundo, em Artes e Letras/Humanidades Ciências e Tecnologias, Professores Universitários capazes de levarem/realizarem em equipas todos os projectos em áreas mais carenciadas da Guiné- Bissau

Estrutura material e tecnológica
Material de consumo (toda a tecnologia referente às áreas de infra-estruturas, saúde, ensino e investigação científica, educação, economia, cultura, para a realização das tarefas indicadas
em cada área e/ou função).

Estrutura Existente
A Nova Força Nacional (N. F. N.) conta com os guineenses, com os profissionais, estudantes e parceiros para a realização destes projectos, coadjuvados pela obtenção da estrutura material, da construção de infra-estruturas de raiz em colaboração com as
comunidades locais, criando empregos e suportando os salários, tanto dos seus funcionários como dos contratados e despesas afins.

Impacto social: metas qualitativas e quantitativas dos projectos
Com estes projectos as zonas mais necessitadas do país vão ser capazes de assimilar as formas de produção tradicionais e modernas da riqueza, obter o seu sustento, melhor, obter os produtos alimentares e não alimentares para as suas necessidades básicas, inclusive, da higiene e segurança na confecção de alimentos para erradicar as doenças, promover o ensino/educação para todos, a construção das necessárias infra-estruturas, desenvolver a
economia e o comércio, a agricultura e agropecuária fazendo uso dos procedimentos técnicos modernos com os instrumentos adequados, criar e potenciar o mercado local, regional, nacional e internacional para estimular a poupança e investimento.

Vão ser capazes de inovar, compreender as dinâmicas da criação e da distribuição dos produtos nos mercados a preços baixos e competitivos, produtos de qualidade, calcular os custos de produção e todas a redes de negócio.

O projecto pretende trabalhar neste domínio com os micro – créditos/espécimes (mini-cresce – mini-créditos para o crescimento económico) que compreende os pequenos financiamentos por espécimes/áreas de intervenção (exemplos: agricultura, pesca, pequenas indústrias transformadoras, comércio, etc.).

Metas qualitativas
Capacidade de participação de todas as comunidades guineenses na tomada de decisão para a melhoria da qualidade de vida. A Confiança e auto-estima nos trabalhos e melhorias que podem desencadear a favor das gerações presentes e futuras, evitando assim, as graves crises alimentares, de saúde, ensino/educação e economia. Por outro lado, a compreensão do papel e da envolvência das instituições tradicionais e representativas das comunidades na consolidação e na progressão destes projectos.

Metas quantitativas
 Afectar o maior número de países/comunidades africanas mais pobres neste projecto em actividades primárias (agricultura, pesca, artesanato, etc.);
 Alargar as bases de actuação deste projecto para todas a faixas etárias, principalmente as faixas mais jovens;
 Validação da capacitação (individuais e em grupos);
 Avaliação da qualidade dos trabalhos em todos os domínios dos projectos;
 Acompanhamento e orientação técnico-científica pelos funcionários aos residentes em formação, pois o objectivo é deixar em cada área específica o know-how pelo número de projectos da

Nova Força Nacional (N. F. N.).
Metas e acções

Acompanhamento das comunidades em tudo que diz respeito à melhoria da condição da sua vida, nomeadamente, os aspectos da produção, do comércio, da estabilidade e da paz.

Diferencial do projecto
Acreditamos que a partir destes projectos, as zonas mais carentes da Guiné-Bissau vão aumentar suas actividades económicas sem prejuízo ao seu meio ambiente, construindo as necessárias infra-estruturas e valorizando o ensino e as regras na obtenção de água potável, confecção de alimentos e prevenção de doenças, tratamentos e assistência médica.

Fazemos  fé que todos os projectos da Nova Força para a reconstrução do país tenham respostas na manutenção da vida das gerações vindouras, como também nas gerações presentes, sempre na óptica das melhores condições de vida, de trabalho, de estudos e saúde.

Além disso, a forma como a N. F. N. dará seguimento, acompanhamento e análise, decisões acertadas para cada área em concreto, acompanhado de profissionais em todos os ramos do saber, só pode gerar sinais positivos e confiança no ultrapassar das dificuldades.

Etapas estratégicas e continuidade dos projectos da Nova Força Nacional (N. F. N.)

Etapa 1 – Apresentação à comunidade Internacional, às instituições financeiras, pessoas singulares e colectivas, países e governos as ideias, Planos e Projectos, Programas da N. F. N. para o Desenvolvimento e Progresso da Guiné-Bissau no sentido da captação de recursos destinados à realização dos mesmos fins.

Etapa 2 – Envolvência dos Países/Comunidades Africanas convidados a participarem nestes projectos.

Etapa 3 – Implementação de Projectos nas zonas mais carentes (através de experiências pilotos e, de seguida, à outros tantos sectores com o recrutamento de quadros profissionais
de altas experiências e saberes.

Etapa 4 – Avaliação da intervenção em cada zona da Guiné-Bissau pela dimensão de cada projecto.

Etapa 5 – Desenvolvimento da fase 2 dos Projectos – Gestão do Know How transmitido as comunidades locais e seus benefícios na vida e no trabalho, na saúde, na economia e no comércio.
Etapas a alcançar com os apoios internacionais
Acreditamos que as etapas 1, 2, 3, 4 e 5 serão alcançadas com os apoios financeiros, na criação de recursos para o país, e nas parcerias estratégicas estabelecidas com as
instituições de várias ordens.


Guineenses, não tenham dúvida de que a Guiné será a estrela da África e a luz das Nações!

Visite o site da futura Presidente da Guiné-Bissau. Clique Aqui

#NancyScharwz  – Youtube

#NancyScharwz – Twitter

#NancyScharwz – Facebook


O melhor do Público no email

Amigos do Comendador Marcio Borlenghi Fasano
Curta nossa página no Facebook
Confira nosso Canal no Youtube
Receba atualizacoes sobre esta e novas matérias
Siga-nos no Twitter
Siga-nos no Instagram
 Sugira nossas matérias através do emai info@fasano.co.uk

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: