Recém-publicado

Do Brasil ao Reino Unido: um passo para ser global


Um Reino Unido mais global

O Reino Unido está comprometido em se tornar a nação mais acolhedora do mundo para os negócios internacionais. Prova disso, é o fato de que a taxa corporativa aplicada no país é a menor entre os G7 e G20. E para impulsionar esta ambição, o governo britânico conta com o Ministério do Comércio Internacional, que apoia empresas estrangeiras interessadas em investir no Reino Unido.
Em junho de 2016, por meio de um plebiscito, a população britânica
votou pela saída do Reino Unido da União Europeia. As negociações
deste processo, regulado pelo artigo 50 do Tratado de Lisboa, podem estenderse por um período de até dois anos a partir de março de 2017.
O país vai permanecer como um importante aliado e parceiro comercial da União Europeia, pela proximidade geográfica e história comum com o restante do continente. No entanto, a saída representa mais liberdade para que o Reino Unido busque novas oportunidades pelo mundo, tendo o país mais autonomia sobre suas próprias leis e maior controle sobre a sua soberania

Uma plataforma para o mundo

Reino Unido: porta de acesso ao mercado global.

Dr Marcio Borlenghi Fasano

Dr Marcio Borlenghi Fasano – info@mediavinvest.co.uk

Mercado consumidor

Mais de 64 milhões de pessoas vivem no Reino Unido, o que já faz deste um grande mercado consumidor. É um dos países com melhor poder de compra em todo o planeta.

Moeda forte

A libra esterlina é uma das moedas mais seguras, estáveis e confiáveis do mundo.

Chegue aonde quiser

O Reino Unido é um país com território equivalente ao Estado de São Paulo. Conta com um sistema de transporte vasto e integrado, além do maior sistema aéreo da Europa e o mais avaçado sistema ferroviário também entre os países europeus.

Eixo financeiro Londres é o maior centro financeiro do mundo, competindo somente com Nova Iorque.

Horário e local ideais

Dois aspectos ajudam a tornar globaisos negócios estabelecidos no Reino Unido. Posicionado entre as regiões Ocidental e Oriental, a localização e o fuso-horário tornam mais fáceis as relações tanto com os mercados americanos e europeus, como com os asiáticos. Além disso, o país é berço da língua inglesa, a mais usada no mundo dos negócios

Conexões globais

O Reino Unido é o país com maisacordos bilaterais assinados no
mundo. São 120, entre eles com os EUA, Canadá, Ásia e Oriente Médio, com a ambição de expandir para outras nações.

Como abrir uma empresa

O Reino Unido é o número 1 na Europa para o empreendedorismo e também o lugar mais fácil para fazer negócios se comparado a qualquer outro país europeu.

Como abrir uma empresa

*Para informações sobre outros modelos, entre em contato com o DIT Brasil.Existem dois modelos de empresas principais no Reino Unido*:· LTD. A empresa limitada é a forma maisutilizada no Reino Unido. Esse modelo mantém as finanças separadas da pessoa física; desse modo, os bens pessoais não correm risco. A taxa corporativa, nesse caso, deve ser paga sobre os lucros e não sobre o faturamento. Os ativos sobressalentes podem ser divididos entre os sócios.· LLP. O profissional autônomo mantém seu negócio como pessoa física, a quem são direcionados os lucros após a taxação. Essa modalidade é utilizada para advogados e profissionais liberais. Em uma sociedade, as partes compartilham a responsabilidade sobre o negócio, dividindo todos os custos e lucros, mas são taxados sobre seu lucro pessoal. As empresas limitadas devem se inscrever na Companies House. O registro de uma empresa é feito online e pode custar apenas £12. Esse processo também é necessário para empresas estrangeiras que queiram ter presença física no Reino Unido.
Mais informações: http://www.companieshouse.gov.uk

O processo de incorporação no Reino Unido é fácil e rápido e pode
ser feito eletronicamente. Em alguns casos, é possível abrir uma empresa no país em menos de 24 horas. Uma das vantagens do modelo britânico é a liberdade de escolha das próprias regras e estruturas, desde que estejam de acordo com a lei. A legislação britânica garante modelos  de artigos para diferentes tipos de empresas, que podem ser adotados ou modificados de acordo com a  necessidade de cada uma.

Um empresário pode atuar no Reino

Unido sem sócio local. A empresa incorporada no país poderá atuar no  mercado e celebrar contratos em seu nome. A incorporação torna mais fácil conseguir financiamentos, uma vez que os investidores preferem a responsabilidade limitada.

Investimento para registrar uma empresa > £12

Caso você tenha uma empresa no Reino Unido, teráde reportar informações financeiras a cada ano. O processo de preenchimento dos documentos exigidos é simples e pode ser feito eletronicamente, o que poupa tempo e dinheiro. Enquanto no Brasil são necessárias aproximadamente 2.600 horas por ano para cumprir com as obrigações tributárias, no Reino Unido são somente 110 horas

Aspectos tributários

A tributação é um importante aspecto na busca por transformar o Reino Unido no melhor lugar do mundo para se estabelecer um negócio internacional. O governo britânico está comprometido em criar o regime tributário mais competitivo dentre os países do G20, e reformou o sistema para que se tornasse mais atrativo para negócios internacionais. O organismo responsável pela tributação no Reino Unido é o HM Revenue & Customs. Para mais informações acesse: www. gov.uk/government/organisations/hm-revenue-customs http://www.gov.uk/browse/tax

Legislação britânica:

O Reino Unido desfruta de boa reputação internacional pela estabilidade e consistência de suas leis e governança. O mercado mundial tem confiança no Reino Unido como um destino
de investimento pelas garantias existentes em sua legislação, como
o direito de propriedade, a força dos contratos, o policiamento de
atividades ilícitas e a proteção contra o uso arbitrário do poder
do Estado. Empresas internacionais tendem a recorrer à legislação britânica para a solução de controvérsias comerciais por meio da arbitragem. A legislação escocesa, apesar de diferente da inglesa em alguns aspectos, é fortemente alinhada em aspectos comerciais e outras áreas que afetam os negócios. A força da legislação britânica está na combinação de previsibilidade e flexibilidade. A corte se baseia em jurisprudência para suas decisões,  mas as adapta quando possível.

19% é a taxa
corporativa
a menor do G7 e G20
20 é o Value Added Tax
(VAT)
10% é a taxa
corporativa s/
comercialização depatentes
 8-13,8% é a contribuição
social

Taxa corporativa

A taxa corporativa do ReinoUnido é a menor entre as seis maiores economias da Europa. Tendo sido reduzida para 19% em 2017, é a taxa mais atrativa entre os países do G7 e G20. Os 19% são cobrados sobre os lucros e não sobre o faturamento, e não há no Reino Unido mais nenhuma outra taxa local sobre os lucros da empresa. Em 2020, a taxa será de 17%.

Value Added Tax (VAT)

VAT é a principal taxa indireta e se aplica a todos os países da União Europeia. A taxa britânica de 20% está  alinhada com a média da UE e é aplicada tanto a bens como a serviços. VAT é uma taxa sobre
consumo, então não deve afetar os negócios, só os consumidores
finais. É o equivalente ao ICMS no Brasil.

Taxa de importação e exportação

Atualmente, há 120 acordos comerciais bilaterais assinados
pelo país. O acordo com a UE será renegociado e as relações
comerciais com a Europa continuarão ativas após a saída do bloco europeu.

PAYE

Essa taxa faz parte do sistema da Receita e Alfândega do governo britânico. Caso a empresa tenha funcionários, o PAYE deve ser deduzido na folha de pagamentos. A taxa varia
de 8 a 13,8% do salário, e o empregador é isento do
PAYE quando nenhum dos funcionários de sua empresa
tem salário de £111 ou menos por semana. É o equivalente ao INSS no Brasil.

Business Rate

Essa taxa é cobrada da maioria das propriedades não-domiciliares, como lojas, escritórios, bares e fábricas. O valor varia de acordo com a atividade da empresa e localização, e isenções podem ser solicitadas no caso de como pequenas empresas ou
áreas rurais. É o equivalente ao IPTU no Brasil.

Um sistema de vistos que funciona bem para os negócios

O Reino Unido criou um sistema de vistos que beneficia a mão de obra qualificada, estudantes internacionais, acadêmicos, empreendedores e investidores. Quem quer expandir seus negócios para o Reino Unido tem à disposição diversas opções de visto, e pode optar pela que melhor se encaixa às suas necessidades.

O visto para empresários brasileiros é emitido dentro de 7 a 8 dias úteis. Cerca de 98% dos vistos para trabalhadores qualificados é garantido, e o preenchimento dos formulários leva, em média, 30 minutos. Aproximadamente 96% dos pedidos de visto (desde
que não sejam de residência) são processados em até 15
dias. Existe uma grande variedade de tipos de visto, de forma a atender aos mais diversos perfis de empresários e investidores

Entrepreneur Visa

Podem aplicar para esse tipo de visto empreendedores
que queiram estabelecer ou administrar um negócio no Reino Unido. É preciso ter acesso a pelo menos £200.000 em fundos próprios para conseguir esse visto, que dá direto à permanência no país pelo período de 3 anos e 4 meses.
Após esse prazo, o empreendedor pode pedir extensão para mais
dois anos, e após 5 anos pode aplicar para visto de permanência.
Esse visto permite: estabelecer ou administrar uma ou mais empresas no Reino Unido,  trabalhar no seu próprio negócioe levar membros da família. Não é permitido: trabalhar fora do próprio negócio e obter fundos públicos.

Investor Visa

Esse visto se aplica àqueles que queiram investir £2 mi ou mais no Reino Unido. Permite estadia de 3 anos  e 4 meses e extensão para
mais 2 anos. É possível investir em títulos do governo
britânico, capital social, de empréstimo ativo ou em empresas britânicas; trabalhar e estudar; aplicar para visto de permanência após 2 anos (caso vá investir £10 mi) ou após 3 anos (se for investir £3 mi). Não é possível aplicar em empresas de investimento imobiliário,  trabalhar como profissional  na área de esportes e obter
fundos públicos.

Intra-Company Transfer Visa

É possível aplicar para esse visto caso um empregador localizado fora do Reino Unido tenha lhe oferecido um emprego para atuar em uma filial no Reino Unido. O tempo de permanência máximo varia de acordo com o tipo de contrato entre empresa e                        empregado. O portador do visto pode ter um segundo emprego além do que patrocinou o visto, fazer trabalho voluntário, estudar, viajar para fora do Reino Unido e retornar e levar membros da família. Ele não pode obter fundos públicos, começar a trabalhar antes
de obter o visto e aplicar para outro emprego antes de começar a atuar na empresa que patrocinou o visto.

Representative of an Overseas Business Visa

Esse visto é pertinente para o único representante de uma empresa de fora do Reino Unido que pretende expandir para o país. Com esse visto é possível permanecer por até 3 anos no Reino Unido e estender por mais 2 anos. Após 5 anos no país, é possível aplicar para um visto de permanência. Para aplicar para esse visto é
necessário apenas ter dinheiro suficiente para se manter no país sem ajuda de fundos públicos e comprovar que tem conhecimento da língua inglesa. O aplicantedeve ser de uma empresa de fora do Reino Unido, ter vasta experiência na área de interesse e ter automia suficiente dentro de sua empresa para tomar decisões.
Essa categoria é, geralmente, indicada para diretores responsáveis pela expansão internacional da empresa. Com esse visto é permitido trabalhar por tempo integral para seu empregador e levar membros da família. Não é possível trabalhar para outras empresas, atuar como autônomo, permanecer no Reino Unido caso o projeto
termine, trocar para qualquer outra categoria de visto ou obter fundos públicos (como benefícios sociais – PAYE).

Mão de obra qualificada

Para alcançar crescimento econômico é preciso atrair talentosO Reino Unido é um dos poucos países na Europa que espera ter um aumento da oferta de mão de obra nos próximos 15 anos. No Índice Global de Competitividade de Talentos, tem grande destaque graças à facilidade em atrair, aprimorar e manter talentos.

A única grande economia europeia que apresentará crescimento da mão de obra nos próximos 15 anos

Os custos de mão de obra mais  competitivos da Europa Ocidental

Segundo mercado de trabalho mais eficiente entre as maiores economias da Europa

Apenas 30 minutos para solicitar um visto para um trabalhador qualificado, com taxa de aceitação de 98%

É vantajoso operar no Reino Unido, que conta com as leis trabalhistas mais atraentes para os negócios na Europa. Elas são flexíveis, para que os funcionários sejam contratados em regimes que mais se adequem às necessidades dos negócios. Podem ser contratos de tempo integral, meio período ou contratos por projetos, no caso de freelancers ou consultores. Os custos para manter funcionários são os mais competitivos na Europa Ocidental.
O Reino Unido tem um salário mínimo nacional, o National Minimum Wage o que ajuda os trabalhadores de baixa renda e
impedem que salários muito baixos criem uma competitividade injusta.

Mercados em crescimento

As estratégias industriais do governo britânico beneficiam todas as empresas baseadas no país, providenciando soluções de longo prazo para as questões que têm maior impacto no crescimento econômico. É possível investir no Reino Unido sem preocupações, com a certeza de que o ambiente de negócios funciona de modo a ajudar a expansão dos negócios. Algumas das áreas em crescimento são:

Alimentos & Bebidas

Maior setor manufatureiro do Reino Unido, com receita de £96 bilhões. Além disso, conta com um mercado de 64 milhões de consumidores, gastando em média £224 bilhões por ano em alimentos e bebidas. Os consumidores britânicos têm grande aderência a novos produtos, sendo a tendência desse setor nos
próximos anos alimentos orgânicos e focados em alimentação saudável.

Ciências da Vida

Dezessete das 20 maiores empresas farmacêuticas do mundo têm operações de Pesquisa & Desenvolvimento (P&D), fabricação e vendas no Reino Unido, que ocupa a terceira posição em P&D para farmacêuticos globais. A estratégia de Ciências da Vida britânica está criando um ambiente inovador que une negócios, pesquisas, médicos e pacientes para transformar descobertas em objetos de uso clínico

Serviços Financeiros

Nossa posição como um dos principais centros financeiros mundiais é uma das razões de o Reino Unido ser a escolha de muitas companhias internacionais. Grade parte dos maiores escritórios de investimentos e instituições financeiras estão baseados no país. Londres está na liderança em todas as categorias do Global Financial Centre Index 20 da Z/Yen. O Reino Unido é o país do mundo com mais rápido crescimento de Investimento Estrangeiro Direto do setor de tecnológica financeira (FinTech) no mundo, um dos maiores mercados para asset management e líder na Europa em gestão de Fundos

Serviços Profissionais

A exportação de serviços profissionais do Reino Unido (incluindo direitocontabilidade, arquitetura e propaganda) duplicou na última década, e é a segunda maior entre os países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico em volume. O país está aumentando as exportações para mercados emergentes e impulsionando o número de trabalhadores qualificados do setor.

Tecnologia da Informação

O Reino Unido é o maior mercado na Europa na área de Tecnologia de Informação, e o terceiro maior no mundo. As empresas localizadas no Reino Unido recebem apoio para se desenvolver e adotar novas tecnologias, a fim de que se tornem mais eficientes e alcancem crescimento econômico mais rapidamente. As catapultas de Smart Cities e Digital são grandes desenvolvedoras de novas tecnologias para o mercado. Cibersecurity, Big Data, IoT e Cloud Computing são os subsetores de maior destaque.

Varejo

O Reino Unido será o líder europeu no mercado de luxo até 2018, na frente de França e Itália. Está entre os três países mais ativos em e-commerce no mundo,com o maior índice global de consumo per capita, avaliado em £3.500 por ano. As grandes marcas                  internacionais estão mais presentes em Londres do que em
qualquer outra cidade do mundo. O mercado consumidor é diverso, alerta às tendências de moda e está sempre em crescimento com apoio do forte turismo. Visitantes são atraídos por locais icônicos com grandes lojas de departamento: Oxford Street e Regent Street, em Londres, e cidades como Birmingham, Glasgow e Manchester. O mercado de varejo britânico tem reputação mundial por sua qualidade e inovação e pelo uso de novas tecnologias

Indústrias Criativas

De filmes à moda, games a softwares, música, mídia, propaganda a arquitetura o setor de indústrias criativas é um dos mais importantes do Reino Unido. O país é criador e ampliador de tendências globais, e é um mercado aberto e atrativo para a criatividade.

Construção

O Reino Unido é o segundo maior exportador de equipamentos de construção no mundo. Existe uma grande demanda pela expertise britânica globalmente nas áreas de arquitetura, design e engenharia. A indústria de construção britânic e’ uma das mais eficientes, sustentáveis e competitivas.

Óleo & Gás

O segmento de Óleo & Gás em alto mar dá ao Reino Unido uma grande vantagem. O governo está trabalhando em parceria com a indústria para,maximizar o valor dos recursos aplicados na área e auxiliar na inovação e crescimento da cadeia produtiva. Os passos dados para alcançar esse objetivo,incluem:
• Um Centro Nacional de Excelência para tecnologias de Oléo & Gás.
• Um centro de engenharia extrema, que irá desenvolver tecnologias para
superar os ambientes mais desafiadores.

Eixo de inovação

O Reino Unido tem uma herança valiosa em Pesquisa & Desenvolvimento (P&D) – o país é ganhador de 88 Prêmios Nobel em disciplinas científicas. Mas essa não é somente uma nação de cientistas, o governo continua a investir fortemente no sistema de inovação. As parcerias existentes entre empresas e universidades criam um ecossistema bem-sucedido de inovação, que transforma ideias em sucesso comercial. As catapultas vêm transformando a
capacidade britânica de inovação em áreas industriais específicas, como:
– Terapia genética e celular
– Aplicação de semicondutores
– Digital
– Sistemas de produção energética
– Cidades do futuro
– Indústria de alto valor agregado
– Descobertas em medicina
– Energias renováveis de alto mar
– Medicina de precisão
– Satélites
– Sistemas de transporte

Dentre as grandes economias,

é a melhor posicionada Ranking Global de Inovação, ficando em 3° lugar na classificação geral em 2016 A colaboração entre universidades e negócios é a mais efetiva entre as grandes economias europeias Maior produtividade em P&D,entre as maiores nações do mundo,No último ano, o orçamento da ,agência de fomento à inovação no Reino Unido, Innovate UK, para o apoio de projetos foi de £561 milhões Sistema de Propriedade Intelectual mais seguro e de maior qualidade em relação aos países competidores
Saiba mais em:www.innovateuk.gov.uk

Proteja sua Propriedade Intelectual

O Reino Unido conta com um sistema de Propriedade Intelectual robusto e confiável. Além disso, é possível ter um registro único para atuar na União Europeia e Estados Unidos. Saiba mais em: www.intellectual-property.gov.uk

Capital digital da Europa Na região leste de Londres está localizada a Tech City, que simboliza o espírito empreendedor
do Reino Unido. Esse é o maior aglomerado digital da Europa e destino certo para start-ups e novas tecnologias de rápido crescimento. Não é necessário estar em Londres para se beneficiar desse eixo de inovação – a Tech City trabalha em parceria com clusters digitais por todo o Reino Unido. Saiba mais em: www.techcityuk.com

UK Science Parks

Os parques científicos são uma iniciativa de suporte aos negócios e transferência de tecnologia, que encoraja e auxilia empresas inovadoras e de crescimento rápido. Além disso cria um ambiente onde grandes companhias podem desenvolver interações bastante próximas e específicas com um centro de inovação para benefícios mútuos. Mais de 100 localidades fazem parte do projeto, que está em plena expansão, dando apoio para mais de 4.000 empresas. Saiba mais em: www.ukspa.org.uk

Além de Londres

Algumas áreas do Reino Unido têm maior flexibilidade para tomar as ações necessárias para a criação de empregos e crescimento econômico. Essas são ótimas regiões para se estabelecer negócios.

Dados gerais

O Reino Unido tem uma área total de 244.100 km2 , sua capital é Londres e é formado pela Inglaterra, Escócia, País
de Gales (que formam a Grã Bretanha) e Irlanda do Norte.
A população do país ultrapassa 64 milhões. O regime político
adotado é a Monarquia Constitucional e sua legislação é bastante flexível.

Enterprise zones

Nessas áreas, os empresários recebem suporte para estabelecer e expandir seus negócios. São 31 Enterprise Zones na Inglaterra e País de Gales e 4 Enterprise Areas na Escócia. Cada área é focada em um setor específico e dentre as vantagens estão o acesso a zonas com
infraestruturas já montadas e planejadas para cada tipo de negócio além de reduções fiscais. Muitos clientes escolhem uma Enterprise
Zone pela proximidade com à cadeia de fornecedores, o que significa mais vendas e menos custos com distribuição.

Clusters

Clusters setoriais foram criados próximos a centros de excelência e inovação no Reino Unido. Alguns exemplos são: Tecnologia digital: há centros de tecnologia digital em locais como Cambridge, East
London, Manchester, Glasgow, Bristol, Malvern e Sunderland; Biomedicina: no setor de Biomedicina se destacam Oxford, Cambridge e Londres; Automotivo: o maior cluster do setor automotivo está em West Midlands, mas outras áreas receberam investimentos, como Sunderland, Ellesmere Port, Burnaston e
Swindon; Aeroespacial: há grandes clusters do setor aeroespacial em Bristol, mas também em Prestwick e Glasgow, na Escócia; Broughton, em Gales, e Belfast, na Irlanda do Norte; Agrotecnologia: clusters em Norwich e Cambridge tiram vantagem das áreas férteis das regiões, além das universidades e centros
de pesquisa.

Passo a passo para a internacionalização

Um processo de internacionalização requer planejamento. Afinal, estamos falando da abertura de sua empresa em outro país, o que envolve tempo e energia. Abaixo seguem os passos para um processo de expansão internacional bem-sucedido

1. Plano de negócios: a elaboração do plano de negócios deve cobrir informações sobre a sua empresa, seus produtos, o mercado-alvo,
estratégia de entrada, plano de marketing, recursos humanos e recursos financeiros.
2. Agências de apoio: O DIT, a APEX Brasil e o SEBRAE são os principais órgãos no Brasil que podem apoiá-lo na capacitação da sua empresa e no envio de informações importantes que
compõem seu plano de negócios.
3. Visitas ao mercado: viagens para o Reino Unido ajudam a conhecer a cultura local, falar com outros parceiros, clientes e concorrentes. Conversas com outros empresários brasileiros
que já passaram pelo processo podem ajudar na decisão, além de coletar lições aprendidas. É essencial o entendimento da dinâmica de negócios local.
4. Planejamento financeiro: ao fazer um levantamento de custos, devem ser estimadas despesas de investimento inicial e custos
operacionais por um período mínimo de 3 anos. Para o Reino Unido, estimar quanto a mesma operação custaria com impostos na cidade de São Paulo é suficiente para o planejamento
inicial. Use esse valor como referência e valide ao longo do processo até o momento da instalação e operação da empresa

5. Burocracia: é importante que a empresa se informe sobre os documentos, procedimentos e legislações locais para início das operações. No Reino Unido, a ordem para instalação da empresa segue os seguintes passos básicos:

a. Tirar o visto, caso o responsável designado
para iniciar as operações seja brasileiro;
b. Escolher o endereço comercial;
c. Registrar a empresa;
d. Abrir conta no banco;
e. Realizar cadastramento em demais órgãos
necessários para obtenção de licenças e
registros adicionais para seu negócio.

6. Família:

este é um processo que exigirá mais viagens e, eventualmente, mais tempo longe de seus familiares. A preparação do ambiente familiar e o apoio de todos são essenciais para que o empresário possa realizar esse processo de forma tranquila. Muitas vezes, toma-se a decisão de realizar a internacionalição ao mesmo tempo da mudança da família. É preciso que todos os fatores sejam levados em consideração para que a adaptação e a experiência internacional sejam positivas para todos.

7. Talentos:

o recrutamento dos profissionaiscertos para iniciar sua operação em outro país é crucial para o sucesso do processo
de internacionalização. Busque pessoas competentes e confiáveis.

8. Estratégia de entrada:

a escolha da estratégia de entrada é importante para atender aos objetivos estabelecidos no plano de negócios. A empresa pode optar por criar um escritório comercial e expandir organicamente a operação. Buscar os melhores canais de vendas (direta, e-commerce, parceiros distribuidores etc.)para os seus negócios também ditará seu ritmo de entrada. É importante dar tempo ao tempo e trabalhar cenários de rápida aceitação do seu
produto ou serviço no mercado ou de aceitação mais gradual.

9. Site location:

a busca do local para início das operações pode contribuir para sua estratégia de entrada e competitividade local. Considere locais que podem aproximá-lo do seu cliente e do seu fornecedor, que ajude na construção da sua reputação local e que possa trazer conexões. O seu endereço é seu cartão de visita.

Bom, você já fez seu plano de negócios, realizou toda a pesquisa para entrada no mercado, passou pela burocracia, preparou sua família, escolheu as pessoas certas para iniciar essa novaempreitada, traçou um plano de entrada,chegou ao Reino Unido e abriu as portas do seu negócio.

Pronto! A sua empresa é oficialmente britânica.

O que fazer a partir daqui?

1. Conexões: a participação em eventos, clientes internacionais já atendidos no Brasil e associações de classe são importantes para que sua empresa se torne conhecida no Reino Unido. Fazer uma lista de clientes-alvo e iniciar a prospecção é o primeiro passo para fechar
uma venda.

2. Seu primeiro cliente: a atenção na entrega de um produto ou serviço excepcional é importante para que ele possa indicá-los a outros. Além de celebrar o primeiro de muitos clientes, use a experiência comercial para crescer sua carteira. Depois de instaladas no Reino Unido, nosso time ajuda as empresas a crescerem. É possível integrar programas de exportação para acessar outros mercados (EUA, Ásia, Oriente Médioe Europa) e participar de eventos de networking em solo britânico. Use o Reino Unido como plataforma para sua estratégia de expansão internacional. Veja mais em: www.exportingisgreat.gov.uk

Presença Brasileira no Reino Unido

O Reino Unido é o principal destino de investimentos diretos externos na Europa. As empresas brasileiras têm mostrado crescente interesse no país pelo ambiente de negócios e suas conexões globais. O histórico de empresas brasileiras no Reino Unido começa com o Banco do Brasil se instalando em
Londres na década de 1960. Desde essa data, houve ondas de investimento de grandes e médias empresas nos setores de Energia, Infraestrutura, Aeroespacial, Serviços Financeiros e Tecnologia
da Informação. Os modelos de entrada são os mais variados, e, como exemplos, podemos citar: 20

Presença Brasileira no Reino Unido

1. Sede Europeia/global:
Empresas brasileiras utilizam o Reino Unido como sede de suas operações na Europa devido às vantagens competitivas que o país oferece (sistema tributário simplificado, mão de obra qualificada e flexível, língua inglesa como oficial, custos operacionais iguais ou inferiores ao Brasil). Algumas empresas, em virtude de suas operações em diversas regiões do mundo, estabelecem sua sede no país para estarem mais próximas de regiões ainda distantes do Brasil (como EUA, Ásia e Oriente Médio).
2. Plataforma exportadora com centros
de distribuição: Empresas brasileiras utilizam o país como
plataforma de exportação para o mundo, a fim de usufruir do custo logístico competitivo (com relação à Europa Continental) e dos 120 acordos comerciais bilaterais do Reino Unido.
3. Centros de P&D:
Empresas brasileiras instalam escritórios ou laboratórios de Pesquisa & Desenvolvimento para fazerem uso dos benefícios do governo britânico e do robusto ecossistema de inovação, de forma a oferecerem produtos de alto valor agregado na América Latina, África e Ásia.
4. Escritório de vendas:
Escritório com um time de vendas (de um a três funcionários). Ideal para aqueles que desejam testar o mercado com pouco investimento e crescer organicamente, à medida que forem ampliando seu  portfólio de clientes.
5. Fusões e aquisições:
Empresas brasileiras buscam adquirir empresas britânicas. Para empresas nas áreas de Engenharia Avançada, Energia e  Infraestrutura, é o modelo adequado devido ao perfil das
operações

Atualmente, empresas de todas as regiões do Brasil, de diversos portes e setores possuem operações no Reino Unido:

3 Starts Visa
Alcor
Alpargatas
Ara Vartanian
Aroeira Salles Advogados
Baacco
Banco do Brasil
Banco Votorantim
Bliive
Blue Mundi Consultoria
BNDES
BR-101
Bradesco
Bralyx
Brasil Observer
Brastec
BRF
Brit Services
BTG Pactual
BVM&F Bovespa
Casa Rex
CI&T
CIA Iguaçu de Café Solúvel
Code hub
Contracta
Cosan Raízen
Cutrale
DirijaJá
Dynamo Capital
Eiffel Combustion
Embraer
ErgoMobile
Estater
Exed Consulting
Fernando Jorge
G4 Global Partners
Garra Partners
GP Investimentos
Grendene
Grupo Casa
Grupo Safra
Grupo Tristão
Gympass
H. Stern
Integration
Intelipark
ISPM
Itaú BBA
IX Energia
JBS
Lima e Falcão Advogados
Lotebras
LP Natural Capital
Magnesita
Mattos Filho
Meraki
Mind Rio
MJV Technology
Minerva Foods
Modulo Solutions
MSBB
Neogrid
Noronha Advogados
Odebrecht O&G
Oficina Inglesa
Pátria Investimentos
Petroball Racing
Petrobras
Pipa Global Investments
QGOG
Qualitin
Rede Globo
Rede Record
Reynolds Ventures
Romi
Semeq
Softpar Soluções Financeiras
SPX
Stayfilm
Stefanini
Suriana
Tagme
Tam Airlines
Tempest Security Intelligence
Time Family Office
Toys Talk UK
Tramontina
Turim family office
Ukkobox
Up Trade
Vale
Vector Tecnologies
Verde Potash
Victoire Investimentos
Visagio
WEG
Xingu Capital
XP Investimentos
Zetra Software

A empresa número 100

Em 2016 o Brasil atingiu a marca de 100 empresas no Reino Unido, com o início das operações da Gympass em seu escritório em Londres. O planejamento é empregar 400 funcionários nos
próximos três anos. A expansão para Europa e Estados Unidos será liderada a partir do solo britânico, a plataforma global para negócios. A Gympass viabiliza a prática de atividades físicas em uma rede de mais de 16.000 parceiros em 2.500 cidades e 8 países. Com o benefício corporativo, colaboradores de empresas parceiras
possuem acesso ilimitado a mais de 500 modalidades esportivas por um custo muito atrativo

Cases de sucesso

Stefanini

A Stefanini é uma multinacional brasileira com 30 anos de atuação no setor de serviços em TI. Sua oferta abrange Consultoria, Integração, Desenvolvimento de Soluções e Outsourcing
para Aplicativos e Infraestrutura, além de BPO para processos de negócios. A holding das operações internacionais, com faturamento de mais de US$ 400 milhões, tem sede no Reino Unido, sendo que a operação na Europa tem um faturamento de US$ 150 milhões. Presente em 39 países, a Stefanini foi a primeira empresa brasileira de TI a atingir esse tipo de alcance global. De acordo com a BBC News, a Stefanini está entre as 100 maiores empresas de TI do
mundo.

Grendene

A Grendene, companhia de calçados e dona de marcas como Rider, Ipanema e Melissa, expandiu suas operações para o Reino Unido com a abertura da Galeria Melissa, no centro de Londres, em 2014. Foi a primeira loja da marca na Europa e referência de design para o setor. Localizada em um edifício clássico, a ambientação da loja procura criar um diálogo da marca com a própria cidade de Londres, que alia a história ao futuro. A marca possui colaborações
importantes de designers britânicos como Vivienne Westwood, Gareth Pugh e Zaha Hadid.

Itaú BBA

Itaú BBA International é a plataforma europeia do Banco Itaú BBA, o maior banco de investimento corporativo da América Latina e parte do grupo Itaú Unibanco, um dos maiores conglomerados financeiros do mundo. O início das operações no país se deu em 2012, com  a transferência da sede europeia para Londres, favorecidos pelo ambiente de negócios e o desenvolvimento do setor de serviços financeiros encontrados na cidade.

FG Farma

A FG Farma trabalha com a distribuição de medicamentos de alta complexidade, para hospitais, clínicas de oncologia e entidades governamentais. Por meio da distribuidora SPL Pharma
Ltd, estabeleceu-se no Reino Unido em 2016, desfrutando de ambiente que permite acesso a medicamentos inovadores e especializados. O desejo de fazer com que estes cheguem de
maneira adequada e no tempo planejado aos destinatários também influiu na escolha da empresa, além de o Reino Unido representar a porta de entrada para a Europa.

Ministério do Comércio Internacional do Reino Unido

O Ministério de Comércio Internacional do Reino Unido (DIT) oferece suporte gratuito e confidencial para cada aspecto do seu
investimento. Os serviços não terminam quando a empresa se estabelece no Reino Unido – continuam conforme as operações se expandem internacionalmente. Milhares de empresas já
receberam auxílio para entrar e crescer no Reino Unido. Start-ups, empresas de médio ou grande porte, investidores ou corporações: todos podemcontar com o apoio do DIT para realizar suas
ambições de crescimento internacional.

Contato

Para obter mais informações sobre com podemos ajudar sua empresa a maximizar as oportunidades no Reino Unido, entre em
contato com nosso time de Investimento.    Tel: 44 3333444181 E-info@fininvest.co.uk

Não tem certeza de qual país é melhor para seus negócios?

Comparar os benefícios entre diversos países é complicado. É trabalho do DIT esclarecer os aspectos comerciais e providenciar informações atuais e factuais para que você chegue a conclusões
importantes sobre a competitividade do Reino Unido. Já decidiu levar seu negócio para o Reino Unido? Para que você economize tempo e dinheiro, o DIT ajuda a estabelecer sua empresa de forma rápida e eficiente, guiando-o através dos estágios essenciais, como: escolher a localização ideal e recrutar funcionários. Especialistas cobrem todos os setores da indústria, questões de visto, taxação e análise financeira.

Já se estabeleceu no Reino Unido mas quer expandir seus negócio?

O DIT pode ajudar a desenvolver as relações necessárias para expandir seu negócios dentro do Reino Unido e exportar para Europa e outros mercados globais. Isso inclui: acesso a projetos de apoio à inovação e desenvolvimento de novos produtos e à rede internacional do DIT para aumentar as exportações ou ajuda no acesso financeiro, em suporte aos planos de expansão.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: