Recém-publicado

Visto para trabalhar no Reino Unido para não europeus

Tornou-se bastante comum pessoas (principalmente os amigos) me perguntarem como poderiam fazer para trabalhar em qualquer dos países do Reino Unido – Inglaterra, Escócia, Irlanda do Norte ou País de Gales -, de forma legal, mesmo não sendo portadoras de uma cidadania europeia. Devido a isso, decidi reunir as principais perguntas que me foram feitas, e escrever um passo-a-passo, em um esquema pergunta-resposta, explicando os caminhos possíveis.


Antes de começar a ler a matéria, se você é residente no Reino Unido – aproveite nosso acordo com a O2 e GiffGaff para solicitar seu SIM CARD absolutamente GRATIS. Para O2, Clique Aqui, Para GiffGaff aqui. 

Adianto que as leis e critérios relacionados à emissão de vistos de trabalho (work permit) a não-europeus vêm sofrendo muitas alterações, principalmente de dois ou três anos para cá, devido a mudanças na política de imigração. Sendo assim, peço que não tomem as explicações dadas aqui como definitivas. Em outras palavras, no momento em que escrevo este artigo, são válidas. Amanhã ou depois, alguns critérios poderão ter mudado. Dito isso vamos lá.

VISTO DE TRABALHO

É o sonho de muitos falantes da língua portuguesa, que não possuem a cidadania europeia, irem morar e trabalhar em países como Inglaterra, Irlanda, Escócia, Gales, Estados Unidos, Canadá e Austrália que, não por acaso, são os principais destinos de intercambistas que desejam melhorar o inglês.

No Reino Unido, em particular, as leis de imigração são bastante rígidas. Para não entrar (ou permanecer) de forma ilegal no país é necessário que se siga o protocolo e atenda aos requisitos exigidos para não ter problemas com a imigração.

O processo exige muita paciência pois, além de dispendioso, é bastante burocrático: prepare-se para reunir uma pilha de documentos (todos acompanhados de tradução), comprovar um bom nível de inglês e diploma em curso superior (exceto quando a intenção é o de cursar uma universidade, claro). Portanto, se desanimou de partida, melhor parar a leitura por aqui. Porém, se você é daqueles que adoram um desafio, porque sabe que existe o “risco” da recompensa, siga em frente, e leia o guia, em forma de pergunta-resposta, que preparei para ajudá-los nesta tarefa.

Que tipo de visto pode me permitir trabalhar no Reino Unido legalmente?

Os vistos de trabalho estão divididos, basicamente, em três principais categorias – TIER 1TIER 2 e TIER 5 -, que por sua vez, dividem-se em subcategorias. Porém, aqui trataremos apenas dos que interessam:

TIER 1 (entrepreuner) – esse é o visto de empresário, voltado aqueles que desejam abrir seu próprio negócio. As principais exigências para se obter esse tipo de visto são: ter no mínimo 16 anos e 50.000,00 libras (ou mais) comprovados em conta para investir, ter nível B1 (intermediário) de inglês (escrita, leitura, compreensão auditiva e conversação) e poder se sustentar sem ter de recorrer a um emprego. O visto poderá ser estendido, desde que o empresário cumpra algumas exigências mínimas como, por exemplo, estar ocupando o cargo de diretor (ou comprovar que é auto-empregado/profissional autônomo) e ter criado pelo menos dois empregos três meses antes do pedido de renovação. Nessa categoria, o empresário tem o direito de trazer sua família para o Reino Unido. Para informações mais detalhadas, clique aqui (em inglês).

TIER 2 (general) – o visto geral é um dos mais abrangentes. Podem se candidatar apenas profissionais qualificados (graduação em nível superior ou mais) que tenham recebido proposta de emprego de uma empresa no Reino Unido. Essa empresa emitirá um certificado de patrocínio (certificate of sponsorship), que confirma ao governo a vaga e o salário oferecidos ao candidato. O salário deverá ser de 20.800,00 libras ou mais, com exceção de enfermeiras ainda não registradas junto ao órgão competente britânico que rege a categoria, o Nursing and Midwifery Council, em que o mínimo exigido seria de 16.271,00 libras. Terá, também, de comprovar um nível B1 (intermediário) de inglês na escrita, leitura, compreensão auditiva e conversação. O período máximo que esses profissionais podem permancer no território é de 5 anos e 14 dias, com possibilidade de estendê-lo por mais 5 anos, desde que o patrocinador comprove que não encontrou residentes no Reino Unido com as qualificações necessárias para preencher a vaga. Nessa categoria, o portador do visto tem o direito de trazer sua família para o Reino Unido. Para informações mais detalhadas, clique aqui.

TIER 5 (temporary worker) – esse é o visto de trabalhadores temporários. Estão nessa categoria artistas, desportistas, autoridades religiosas, funcionários que trabalham para governos estrangeiros (ex: diplomatas, funcionários de Consulados e Embaixadas, etc), trabalhadores voluntários (organizações de caridade), dentre outros. Independente de o trabalho que pretende exercer no Reino Unido ser remunerado ou não (ex: voluntários), será necessário um patrocinador que endorsse sua presença no território e se responsabilize pelos custos de sua estadia e/ou pagamento de salário, através da emissão de um certificado de patrocínio (certificate of sponsorship), que confirma ao governo a vaga oferecida e as condições. Porém, diferente do TIER 1 e TIER 2não precisará comprovar o nível de inglês. O visto tem validade de 1 ano, podendo ser estendido pelo período máximo de mais 1 ano. Nessa categoria, o portador do visto tem o direito de trazer sua família para o Reino Unido. Para informações mais detalhadas, clique aqui.

Como estudante matriculado(a) em escola de inglês ou em um curso técnico tenho direito a trabalhar?

Estudantes matriculados em cursos de inglês ou em cursos técnicos, aos quais é concedido o visto de estudante visitante (student visitornão mais têm o direito de trabalhar no Reino Unido. Apenas aqueles que se matricularam em cursos de nível superior, e obtiveram o visto TIER 4, têm direito a trabalhar. Durante o período letivo, têm permissão de trabalhar por meio período (20 horas por semana) e, nas férias, período integral (40 horas por semana). Explicarei em mais detalhes como funcionam os dois tipos de vistos de estudante no Reino Unido – student visitor e TIER 4 -, em um próximo post.

Posso trabalhar com visto de turista?

Definitivamente, não, e totalmente desaconselho a tentar. Ao decidir ficar como ilegal, você terá de arcar com todos os ônus e consequências da sua decisão, incluindo perder tudo o que pode ter conseguido conquistar, caso seja pego pela imigração. Além do mais, fica à mercê de empregadores que pagam o salário que bem entendem (ou dão o calote e mandam o trabalhador embora), e o empregado não tem sequer o direito de reclamar…, a não ser que “se jogue” na fogueira e decida denunciá-lo. Nesse caso, você será deportado mas, pelo menos, terá direito ao pagamento pelo que lhe é devido. Na outra ponta, os empregadores que não cumprirem as regras e forem pegos contratando ilegais, terá de pagar uma multa de 15.000,00 libras por cada imigrante que é pego trabalhando sem permissão. Outro aspecto bastante negativo é que não poderá usufruir do sistema de saúde público (NHS) ou abrir uma conta bancária já que lhe será exigido os documentos que comprovam que possui o direito de viver no RU. E em caso de ser pego em flagrante pela imigração, prestando algum tipo de trabalho, será deportado sem a mínima chance de defesa. Você é levado ao aeroporto, apenas com a roupa do corpo (não poderá voltar para arrumar as malas, pegar seus pertences ou recuperar o dinheiro guardado debaixo do colchão), onde ficará aguardando o próximo voo com destino ao seu país de origem. Além do mais, ficará impedido de entrar no Reino Unido pelos 15 anos seguintes. O Reino Unido está se tornando cada vez mais intransigente com ilegais. Por isso mesmo há cada vez menos gente disposta a arriscar. E não há a mínima possibilidade de o trabalhador legalizar-se, já que os vistos de trabalho só são emitidos a partir do país de origem, exceto no caso de renovações de visto.

Quais são as profissões com maior demanda no Reino Unido?

Desde que o Partido Conservador assumiu, as restrições para aqueles que desejam trabalhar no Reino Unido legalmente aumentaram consideravelmente. De acordo com post publicado no blog da London Help 4U, são 27 as ocupações que não serão mais elegíveis sob o TIER 2. Essa decisão foi tomada com base em um estudo, encomendado pelo governo, em que se chegou a conclusão de que havia mão de obra suficiente no mercado local para ocupar essas vagas. E os profissionais mais atingidos foram aqueles que não possuem diploma de nível universitário, posto que os certificados de conclusão de segundo grau (ou técnicos) já não mais serão aceitos para a candidatura ao TIER 2. Portanto, apenas aqueles que possuem diplomas de nível universitário (ou superior) serão considerados. Assim, seguem as listagens com as ocupações extintas para o visto TIER 2 e, em seguida, as de alta demanda, devido à carência de mão de obra no mercado local.

Ocupações extintas (não mais aceitas para a candidatura ao visto): gestores de clientes, gerentes de escritório, gestores de segurança, gestores da saúde, gerentes de asilos e creche, gerentes de produção animal, silvicultura e pesca, gerentes da área de eventos e exposições, gerentes de imobiliárias, gestores de empresas de reciclagem, tecnólogos e técnicos de arquitetura e urbanismo, inspetores de construção, técnicos de operações de TI, paramédicos, técnicos da área médica e odontológica, oficiais do navio, estimadores e avaliadores, técnicos financeiros e contábeis, compradores e diretores de compras, profissionais de marketing e associados, oficiais de proteção ambiental e conservação, profissionais de nível intermédio de serviços públicos, consultores e especialistas em orientação profissional, examinadores legais, higienistas ocupacionais e escritórios de segurança (saúde e segurança).

Ocupações com alta demanda (aceitas para a candidatura ao visto): engenheiros de planejamento e controle de qualidade, profissionais de software, médicos, psicólogos, farmacêuticos/farmacologistas, dentista, veterinários, profissionais docentes universitários, professores do ensino secundário, professores do ensino básico e de educação infantil, profissionais da educação para portadores de necessidades especiais, pesquisadores científicos, pesquisadores das ciências sociais, advogados, juízes e médicos legistas, contabilistas, assistentes sociais, oficiais de liberdade condicional, bibliotecários, arquivistas e curadores, parteiras, enfermeiros, radiologistas, pedicuro, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais, jornalistas, editores de jornais e periódicos, pilotos de aeronaves e engenheiros de voo, especialistas em tributação.

Quais são os critérios de avalição para obtenção do visto de trabalho?

Os critérios variam de acordo com o tipo de visto que você vai requerer. Mas, basicamente, para conseguir a permissão de trabalho é preciso atingir um certo número de pontos, que varia de acordo com a categoria (TIER 1, 2, 4, 5). Cada exigência cumprida soma a favor do candidato. Esse teste, chamado de Points-based System (Sistema Baseado na Pontuação), divide-se, grosso modo, em duas principais etapas.

Na primeira etapa, a pontuação é obtida a partir da apresentação dos documentos exigidos. Por exemplo, se está se aplicando para o TIER 2 ou o TIER 5 terá de, obrigatóriamente, apresentar o certificado de patrocínio(Certificate of Sponsorship – CoS), e para o TIER 1, a comprovação de que possui o investimento mínimo necessário para estabelecer um negócio. Caso contrário, é imediatamente desclassificado (perde pontos).

Caso tenha sucedido na primeira etapa, a segunda consiste em comprovar que tem fundos suficientes para se manter. Se estiver se candidatando ao TIER 2 e TIER 5, a comprovação será o salário que lhe foi oferecido ou o compromisso do patrocinador em bancar o seu sustento.

Como dito anteriormente, as duas etapas classificatórias foram aqui descritas a “grosso modo”. Existem alguns critérios que variam de acordo com o visto requisitado como, por exemplo, comprovação de poupança, no país de residência do candidato, com uma quantia mínima depositada (previamente estipulada pelas autoridades britânicas) ou, quando aplicável, a comprovação do nível de inglês através da apresentação de um certificado de proficiência na língua inglesa (a partir de 6 de abril de 2015 apenas será aceito o IELTS*) ou do diploma de graduação obtido em instituição de ensino superior britânico, ou em um outro país de língua inglesa, desde que o curso em questão seja equivalente a um em nível de bacharelado (Bacharelado de Artes (BA), Bacharelado de Ciência (BSc), Bacharelado de Educação (BEd) e Bacharelado de Engenharia (BEng)) no Reino Unido. Para esse fim, o órgão britânico responsável por validar diplomas obtidos em instituições estrangeiras é o UK NARIC (clique aqui para acessar).

Para saber se consegue atingir a pontuação necessária para obter um visto para trabalhar no Reino Unido, clique aqui e faça o teste online sem compromisso.

Como faço a solicitação do visto? Por onde começar?

Para fazer o pedido de visto, siga estes quatro passos:

1. Entre no site do governo do Reino Unido para vistos e imigração e solicite um visto online, clicando aqui. Terá de se registrar no website para proceder ao agendamento.

2. Para completar o processo de solicitação, você deve agendar uma entrevista no centro de solicitação de vistos para o Reino Unido do seu país (UK Visa Application Centre – VAC), pois não serão atendidos aqueles que não tiverem feito um agendamento. Nesse site você poderá preencher seu formulário de aplicação de visto, pagar a taxa do visto em questão e agendar o comparecimento no VAC para dar entrada no processo.

3. Na data do seu agendamento, chegue com, pelo menos, 15 minutos de antecedência ao centro de solicitação de vistos. Na entrevista, além de apresentar todos os documentos solicitados, serão coletados os seus dados biométricos, ou seja, suas impressões digitais (que serão escaneadas) e foto digital.

4. Ao término da entrevista lhe será entregue um recibo, que deverá ser guardado, pois precisará dele posteriormente para retirar os seus documentos. Poderá escolher se prefere pegar a sua documentação pessoalmente no centro de solicitação de vistos, ou se vai querer que sejam enviados via correio.

Aviso Importante: Uma vez que tenha apresentado os seus documentos no centro de solicitação de vistos, você não poderá apresentar documentos adicionais. Os documentos que você apresentar no momento em que fizer a solicitação serão os únicos a serem considerados. Portanto, trate de conferir todos os documentos que necessita, dez ou vinte vezes se necessário, antes de se apresentar ou terá de reiniciar o processo.

Que tipos de documentos terei de providenciar?

Ao chegar em sua entrevista, você deve levar:

  • sua confirmação de agendamento devidamente impressa, recibo da taxa de visto e recibo da taxa de serviço VAC;
  • Passaporte válido (no máximo com 6 meses de validade restante) e com pelo menos uma página em branco (frente e verso), onde será colocado o seu visto;
  • 2 fotografias de rosto recentes e coloridas, no tamanho 3,5mm x 4,5mm;
  • uma impressão de seu formulário de solicitação online, assinado e datado;
  • como está solicitando seu visto sob o sistema baseado em pontos, terá também de apresentar um formulário de auto-avaliação preenchido, assinado e datado;
  • quaisquer documentos de suporte pertinentes a sua solicitação, que digam respeito especificamente à categoria para a qual se candidatou (mais informações, acesse os links disponibilizados em “Que tipo de visto pode me permitir trabalhar no Reino Unido legalmente?“). Caso os originais não estejam em inglês, você deverá apresentá-los juntamente com uma tradução de um profissional.

Qual será meu custo total para conseguir a permissão de trabalho?

Depende. Descontando a quantia mínima exigida para que você possa se candidatar a uma das categorias de TIERaqui mencionadas, se o seu patrocinador não se responsabilizar pelos custos “adicionais”, terá ainda de pagar:

  • pelas traduções de alguns documentos. Os preços variam de acordo com o tradutor e o tipo de tradução – juramentada ou profissional – conforme for exigido;
  • pela sua locomoção até um dos centros de solicitação de visto para a entrevista (entrega da documentação e coleta dos seus dados biométricos), que deverá ser previamente agendada;
  • pela validação do diploma pelo UK NARIC, que fica entre 55,50 e 108,00 libras (não inclui o valor da postagem);
  • caso seja uma das exigências, para realizar o teste de proficiência em língua inglesa – o IELTS* – com a finalidade de obter o certificado que comprova o seu nível de inglês. Para saber qual o valor cobrado para prestar o IELTS no seu país, clique aqui.
  • se o seu pedido for aprovado, será emitido um Entry Clearence, que é uma autorização para entrar e permancer legalmente no país por um determinado período. Porém, para obter o visto de trabalho propriamente dito, o Work Permit, terá de pagar uma taxa que varia de acordo com a categoria de TIER e o tempo que lhe foi concedido permancer no território: o TIER 1, fica em 1.180,00 libras(valor único); o TIER 2, entre 564,00 e 428,00 libras(depende do tempo, 3 anos ou mais); e o TIER 3, 225,00 libras (valor único);
  • e, por último, terá de pagar uma sobretaxa de saúde, no valor de 200,00 libras por ano, como parte da solicitação de visto. Essa taxa assegurará que aqueles que vierem a trabalho, façam uma contribuição financeira apropriada para o custo dos serviços de saúde que podem utilizar enquanto estão no Reino Unido.

Estes seriam os principais custos pelos quais teria de se responsabilizar. Porém, não é uma lista exaustiva e, por outro lado, nem todos os itens citados aqui se aplicam. Também é necessário enfatizar que os valores aqui declarados (ex: quanto terá de pagar pelo work permit) foram colhidos na data de publicação deste guia (16.07.2015) e podem mudar a qualquer tempo. A informação sobre valores você encontrará nos links disponibilizados no item “Que tipo de visto pode me permitir trabalhar no Reino Unido legalmente?“, onde os valores são mantidos atualizados.

Por último, quero pedir para que não se desesperem. Os patrocinadores (sponsors), ou seja, aqueles que tiverem interesse em contratar vocês, se responsabilizarão por pagar a maioria dos custos que listei aqui. Apenas itens como a locomoção a um dos centros de solicitação de vistos (talvez tenha de gastar com passagens de ônibus e estadia), taxa para realizar o teste de proficiência da língua inglesa – o IELTS* (quando aplicável), bem como gastos similares – é tudo o que terão de bancar.

Qual o endereço do Centro de Solicitação de Visto para o Reino Unido (VAC) mais próximo da minha morada?

Para encontrar os contatos e o endereço de um escritório de solicitação de visto (VAC) mais próximo da sua morada, acesse os links que disponibilizei logo abaixo, de acordo com o seu país:

Angola – Centro de Solicitação de Visto Britânico (VAC) em Angola

Brasil – Centro de Solicitação de Visto Britânico (VAC) no Brasil

Cabo Verde – Centro de Solicitação de Visto Britânico (VAC) em Cabo Verde (deve solicitar através do Senegal)

Guiné Bissau – Centro de Solicitação de Visto Britânico (VAC) na Guiné Bissau (deve solicitar através do Senegal)

Moçambique – Centro de Solicitação de Visto Britânico (VAC) em Moçambique

Portugal – Centro de Solicitação de Visto Britânico (VAC) em Portugal

São Tomé e Príncipe – Centro de Solicitação de Visto Britânico (VAC) em São Tomé e Príncipe (deve solicitar através de Angola)

Timor-Leste – Centro de Solicitação de Visto Britânico (VAC) no Timor-Leste (deve solicitar através da Indonésia)

Para centros de solicitação de visto britânico em outros países, acesse os seguintes endereços:

Teleperformance – UK Visa Application Centre

VFS Global – UK Visa Application Centre

Espero que tenham gostado desse guia que preparei para vocês e caso tenham alguma dúvida, just ask! 🙂 Source: Luso Bridge UK


* Para saber quais as escolas ou centros credenciados pelo British Council para realizar o IELTS no seu país, clique aqui. Para maiores informações sobre o que é o IELTS, em que consiste o teste, como se inscrever, onde encontrar material para estudar, custo, e outras informações pertinentes, clique aqui.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: