Recém-publicado

Enio Mainardi: Votar ou não no Bolsonaro?

2018 está ali, atrás da esquina. É amanhã.


Então, se não conseguirmos derrubar a urna eletrônica, ela derruba a gente. Essa é a prioridade 1.

A outra, é acabar com o foro privilegiado. Com isso resolvido já dá para pensar no melhor candidato para a presidência. Como eu espero uma Intervenção Militar, imagino que poderíamos ter um governo misto: talvez o Bolsonaro como presidente e as Forças Armadas no poder, juntos.

Seria uma espécie de sociedade patriótica civil-militar.

Precisamos de um braço forte para aguentar a possível reação do pt ferido de morte. E de muita independência para impor uma limpeza radical no stf, no congresso e na câmara. Além de muita creolina para desinfetar a máquina da justiça, tudo em minúsculas. Além do mst, sindicatos fajutos e congêneres.

Privilégios mil tem que ser extintos e as decisões do temer, revisadas. Muito do que ele está chamegando vem dos acordos que fez para se salvar de um eventual processo. No desespero dele… perigo para todos nós.

Então o temer tem que ser retirado, com aposentadoria integral, igual à minha: bem menos que 3 mil. Vale o mesmo para os juízes do stf e os burocratas milionários da previdência. Tem “bacanos” que ganham 500 mil, 600 mil mensais.

O Bolsonaro sempre esteve na oposição ao regime.

Tem mais de 20 anos nessa prática fiscalizadora. E nunca ninguém abriu a boca para denunciá-lo como corrupto – sobrenome esse da maioria absoluta dos políticos. E agora, sentindo uma mudança verde-amarela no ar eles devem estar metendo a mão no que podem. Imagino os achaques que o temer tem que aguentar, nestes dias de sua máxima fraqueza, garantido só pela grana da corrupção.

O Bolsonaro podia ser nosso presidente? Talvez sim. Além de honesto, ele é um sujeito corajoso. Seu phisique du role não é ainda o de um presidente. Mas, duas coisas: ele pode aprender mais em como se apresentar. E trazer para seu governo políticos capazes, honestos e rejeitados pelo sistema – exatamente por essas qualidades. Com as Forças Armadas dando cobertura,  tudo seria mais fácil.

Sua tarefa primeira seria desmontar o frankenstein que hoje é o Brasil, costurado com pedaços podres do que há de pior no país.

Espero por isso. Confio nisso. Porque sem isso, não vai sobrar muito do Brasil, se cair no poço do narco-terrorismo-cubano-comunista-venezuelano que está com a boca  arreganhada, só à espera de um momento de fragilidade nosso.

Se estou sonhando, faça-me um favor: não me acorde.

Enio Mainardi – https://www.areuniao.com/

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: